Rastreamento de Ressonância Magnética com cé...

RASTREAMENTO DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA COM CÉLULAS TRONCO AUTÓLOGA DA MEDULA ÓSSEA CD34.

  • A ressonância magnética fornece um método não invasivo para estudar as células de destino para transplante in vivo. Considerando essas proposições, estudamos por ressonância magnética de medula óssea autólogo de teste CD34 (células marcadas com nanopartículas magnéticas entregue na medula via LP em pacientes) com pacientes com doenças crônicas, que foram inscritos e divididos em dois grupos: um grupo ficou marcado theirown-CD34 (células injetadas na medula espinhal através de LP (n 10)), os demais receberam uma injeção, mas continha esferas magnéticas sem células-tronco (controles, n 6). CD34 células foram revestidas com esferas magnéticas com um anticorpo monoclonal específico para o antígeno CD34 celúlas-tronco. Imagens de ressonância magnética foram obtidos por um padrão de eco-turbospin T2 aumentoado seqüências antes e 20 e 35 dias após o  pós-transplante. O número médio para células CD34 injetadas via LP foi de 0,7/ 106 (faixa de 0,45-1,22? 106). Células CD34 marcados magneticamente. Eram visíveis no local da lesão como sinais hipointensa em cinco pacientes do rotulados-CD34. group20 e 35 dias após o transplante, estes sinais  não eram visíveis em qualquer paciente do grupo de controle.Nós sugerimos para a primeira vez que a medula óssea autólogo CD34, células marcadas com particulas magnéticas entregue na medula espinhal através de técnica de LP migrou para o local lesado em pacientes com SCI crônica.

PDF DOWNLOAD
Links Relacionados

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba gratuitamente nossos informativos em seu email.

Nome:


E-mail:

FACEBOOK


BLOG

Weblite - Soluções para Internet